domingo, fevereiro 11, 2007

O que eu mais gosto na Foz - Parte II



As pessoas que não têm nada para dizer falam sobre o tempo, se chove, se faz sol ou se este tempo veio para ficar. As pessoas que vão e conhecem a Foz falam do tempo como sendo um fenómeno inexplicável, como sendo algo de sobrenatural.

O tempo na Foz não é igual ao de lado nenhum, quem fala do tempo de sítios como a Praia Grande ou S. Pedro de Moel não sabe o que diz... Em regra temos uma nortadazinha, água a fugir para o fresco e um tempo que não é quente nem frio mas também não é ameno, antes pelo contrário, é este o tempo da Foz.

O microclima que ataca a Foz é tão intenso que num dos pontos mais altos (conhecido pela rotunda da Green Hill) pode fazer nevoeiro, frio e não se ver a praia mas na praia estar um dia maravilhoso, um dia de estalo.

Quando muitas das pessoas que passam férias em locais tenebrosos como o Algarve mas depois têm o discernimento de ir para a Foz dizem que na Foz está sempre um tempo muito melhor e que não percebem porque vão para outro local, eu explico: porque a Foz não é para todos! Ter prazer em levar uma camisola para a praia quando ainda estão 30 e tal graus já a pensar no vento que vai estar ao fim da tarde é alguém que gosta daquela praia acima de qualquer outra e são essas as pessoas que queremos que estejam na Foz.

Não quero excluir ou ofender ninguém mas adoro o facto de este microclima afastar os indesejados, os fracos, os inadaptados e inadaptáveis, no fundo os que não compreendem a Foz do Arelho e as suas nuances.

1 comentário:

Reinaldo Ferreira disse...

ninguem entende isto da camisola, inocentemente no meu 1º ano da fac a caminho de uma tarde de praia na costa, com uns convivas alfacinhas, num gesto automatico juntei á toalha de praia, e á bola de futebol a imprescíndivel camisola de capuz... chamaram me todos os nomes e mais alguns desde bimbo a saloio... só aí me apercebi que também eu sou um fozeiro inveterado, e que aquelas almas incultas nunca tinham tido o privilégio de conhecer a nossa Foz...olhei para o céu e proferi: "Perdoai-os Pai, porque eles não sabem o que dizem "