segunda-feira, janeiro 12, 2009

Comportamento felino


Há cerca de 2 meses encontrei um gato cinza e prata, já adulto lindissimo, abandonado numa praia perto da minha residencia, que é claro, a Foz do Arelho.
Estava bastante carente de afeto e faminto. Dei-lhe comida durante vários dias pensando que era acidental a sua estadia ali. Por ser um local de fim de semana, pensei que poderia ter-se perdido e que na semana seguinte o levariam. Tal não sucedeu. Tinha uma enorme ferida na coxa e porque estava muito frio decidi levá-lo para casa, tendo deixado o meu contacto no café da zona.
Tenho mais 2 gatos e um cão pequeno. No inicio tudo correu bem, levei-o ao veterinário, tratei-o e parecia-me não haver qualquer problema. Posteriormente começou a ficar extremamente imprevisivel e de humor instável, por vezes agressivo, mordendo e arranhando sempre que tento pegar-lhe ao colo ou fazer festas. Outras vezes e porque dorme em cima da minha cama, fica novamente muito meigo, mas podendo de repente e sem causa aparente, mudar de atitude e arranhar. Parece-me que este comportamento se torna mais evidente quando o cão está por perto
Tenho tentado dar-lhe o máximo de mimo, parece-me traumatizado, mas não sei como resolver este problema. Claro que não o vou abandonar mas tenho algum receio e não sei como lidar com ele.

4 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA HELENA, NÃO FAÇO A MENOR IDEIA... A MINHA RELAÇÃO COM OS GATOS NÃO É MUITO AMISTOSA... UM ABRAÇO DE CARINHO ,
FERNANDINHA

Maria disse...

"...mas podendo de repente sem causa aparente mudar de atitude e arranhar."

É este o encanto dos gatos, Lena: independentes, temperamentais e imprevisíveis.

Dá-lhe espaço, doseia o mimo, e mostra-lhe q também tu só dás o q queres, quando queres!
Beijão
Teresinha

wicca disse...

Adoro gatos, tenho três em casa. Meigos, bons companheiros, muito asseados, necessitam de contacto físico (mas não a toda a hora) só quando eles querem. Têm fama de grande independência e extrema resistência física (as tais 9 vidas), o que não corresponde à verdade. São como crianças temperamentais. Possuem um "sexto sentido" que lhes permite perceber se as coisas estão a correr mal com o dono, manifestando então o seu apoio. Dizer que se é dono de um gato não será totalmente correcto. O gato é que é teu dono. Também nunca se esquecem dos amigos nem dos inimigos. Sentem quando os humanos lhes são hostis e retribuem na mesma moeda. Dá-lhes espaço, nunca os forces a nada. Gostam de escolher a sua própria cama, não lhes imponhas nada. Adoram uma boa escovadela diária e odeiam espinhas. E lembra-te: um gato não é um cão, é muito mais do que isso.
Boa sorte com o teu miau.

Cosmic Girl:: disse...

Se é um gato macho é normal que seja assim mais imprevisivel. Eu tenho uma gata e ela não tem esse comportamento muito embora eu já tenha tomado conta de gatos de amigos quando eles vão de férias e os machos teem muito essa atitude. Eu acho que é o factor dominador de machão.
Uma palmada na coxa não lhe faz mal nenhum e mete-o na linha. Ele tem que perceber que isso não se faz e terá tendência para fazer isso cada vez menos.

Qualquer coisa disponha :)
Nasci nas Caldas e a foz era a minha praia de eleição.
Agora vivo no Porto, mas visito a minha terra frequentemente. Estive aí há duas semanas e adorei.